Brasileiro é condenado a prisão perpétua por matar a filha em New Bedford (MA)

Um imigrante indocumentado foi condenado à prisão perpétua em New Bedford (Massachusetts). A sentença foi divulgada em uma audiência realizada na sexta-feira, dia 01, e o acusado é o brasileiro Walter da Silva, que atirou e matou Sabrina da Silva em 2016. Na época, ele admitiu o crime e teria justificado que “se sentiu desrespeitado”.
De acordo com os documentos judiciais, Walter admitiu que cometeu o crime porque a filha, de 19 aos de idade, continuou namorando um homem mais velho contra a sua vontade. Ele afirmou que se sentiu mais chateado quando a jovem se recusou a visitá-lo no Dia dos Pais, em 2016.
O brasileiro estava separado da sua filha por um longo período porque ele tentou matar a mãe dela, Lilian Silva, em 2002. Ele passou 10 anos na cadeia e depois foi deportado para o Brasil. Esta foi a segunda vez que ele foi deportado, pois em 1999 já havia sido removido.
Em 2016, ele retornou aos Estados Unidos e rapidamente tentou se reconectar com sua filha. Ele deu a ela muitos presentes, incluindo US$ 12.000 em dinheiro. Mas, ele disse a ela para não continuar o seu namoro com um homem de 56 anos. Ela ignorou o pedido dele.
“Com base nesse desrespeito e no desrespeito por si só, como ele pensou, Walter foi até Connecticut para conseguir uma arma de fogo”, disse o promotor na época de sua audiência em 2016.
Depois de obter a arma de fogo, o brasileiro foi para a casa de sua filha em New Beddord, em 3 de julho de 2016, e tinha como plano matar o casal. Mas, ele decidiu matar apenas a sua filha depois que não encontrou o namorado dela. Ele foi preso um mês depois e indiciado pelo assassinato.
Em sua audiência em 2016, o imigrante sorriu de alegria quando suas acusações foram lidas em voz alta. “Ele apenas olhou para o meu rosto e sorriu. Ele se mostrou muito tão feliz com o que fez”, disse a mãe da vítima. “Me fez chorar. Ele é muito frio e malvado”.
Depois de quase dois anos de procedimento legal, Walter e seus advogados chegaram a um acordo judicial. Segundo a WWLP-22 News, “como parte do acordo, ele será elegível para liberdade condicional depois de cumprir 25 anos. Walter também confessou a culpa por transportar ilegalmente uma arma de fogo e possuir uma arma de fogo carregada, crime este que lhe rendeu a condenação de três anos, que serão cumpridos antes da sentença de prisão perpétua”.
Sabrina da Silva deixou uma filha que hoje tem quatro anos de idade.
Fonte: Redação – Brazilian Times

FN