Segovia vira ‘sindicalista’ no início de gestão à frente da PF

07/12/201702h00O delegado Fernando Segovia foi anunciado como novo diretor-geral da Polícia Federal em 8 de novembro. No mesmo dia chamou para uma conversa os representantes dos de policiais federais.
Naquela noite o Corinthians, time cujo escudo ele tem tatuado no braço direito, jogaria contra o Atlético Paranaense e uma vitória significaria pôr a mão na taça de campeão brasileiro. Havia, porém, uma disputa mais urgente na sua agenda.
No dia anterior policiais federais protestaram na Câmara durante a votação na CCJ (Comissão de Constituição e Justiça) de um projeto de emenda constitucional que prevê a autonomia administrativa e orçamentária da PF.
Os delegados pediam a aprovação da emenda. Já peritos, agentes, papiloscopistas e escrivães eram contra a PEC. O desacordo na categoria foi usado por parlamentares para adiar a votação.
O episódio é o retrato do racha que se prolonga na PF há anos. A ADPF (Associação dos Delegados da Polícia Federal), que representa os delegados, com frequência entra em confronto com a Fenapef (Federação Nacional dos Policiais Federais) e outros sindicatos que defendem os interesses dos profissionais das outras carreiras da PF.

Fonte: Folha de S.Paulo

Comentários Facebook

FN