Por que dificilmente veremos o surgimento de um ‘Macron brasileiro’ nas eleições

Direito de imagemEPAImage caption Macron é primeiro presidente centrista da França em 40 anos, mas sua popularidade tem caído nos últimos meses Jovem, sem partido e eleito ao cargo máximo sem nunca ter disputado antes qualquer tipo de eleição: o presidente francês, Emmanuel Macron, se tornou um modelo de líder político que inspira candidatos em vários países, inclusive no Brasil.

Repetir a façanha de Macron está longe, no entanto, de ser algo simples. Ele não representou apenas um candidato novo e fora do sistema político. Há vários fatores combinados que explicam sua ascensão.
No Brasil, a possibilidade de surgir um candidato nos moldes do francês nas eleições presidenciais de outubro é praticamente inexistente, segundo especialistas ouvidos pela BBC Brasil.

O legado dos cinco primeiros anos de Francisco, o papa ‘que desceu do trono’A surpreendente ordem de Putin para derrubar avião de passageiros em 2014Macron chegou a ser chamado de “óvni” na campanha presidencial francesa. Ele parecia ter caído de paraquedas no cenário político que se repetia há décadas, com velhos partidos se alternando no poder.
No entanto, sua trajetória foi construída progressivamente, com um movimento lançado um ano antes das eleições presidenciais de 2017.

Fonte: BBC

FN