A tribo indígena que está sendo dizimada por uma epidemia de HIV

Image caption Infecção está avançando rapidamente na Venezuela | Foto: Jacobus de Waard Há uma comunidade indígena da etnia warao que não tem mais homens. Todos morreram. E as mulheres do grupo que sobreviveram estão isoladas. Ninguém quer se casar com elas. Acredita-se, entre os warao, que foram amaldiçoadas.

Mas, na verdade, os homens dessa tribo venezuelana morreram em decorrência dos problemas causados pelo vírus HIV, causador da AIDS. “Há uma prevalência de 10% de infectados em algumas comunidades. Nas pequenas, quase todos os homens entre 16 e 23 anos têm HIV”, afirma o médico holandês Jacobus de Waard, do Instituto de Biomedicina da Universidade Central da Venezuela, que trata dos warao desde 1993.
A porcentagem de contaminação indicada por Waard é significativa, já vez que a prevalência do vírus do HIV na Venezuela é de 0,6%, de acordo com as estatísticas da Onusida, organismo das Nações Unidas cujo objetivo é controlar a propagação da doença.

A situação do HIV no povo warao já classificada como uma epidemia.
A etnia habita, principalmente, o nordeste da Venezuela, onde deságua o rio Orinoco.

Fonte: BBC

Comentários Facebook

FN