Restrição à vacina contra dengue é ‘cautela’, diz presidente da Anvisa

30/11/201721h19O diretor-presidente da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), Jarbas Barbosa, afirmou nesta quinta-feira (30) que a nova advertência em relação à vacina contra a dengue é “medida de cautela”, mas que novos testes ainda são necessários para ter uma conclusão definitiva sobre os riscos.
Nesta quarta (29), a agência emitiu nota em que não tomem a vacina feita pela Sanofi Pasteur.
A medida ocorre após dados preliminares de estudos de acompanhamento de vacinados apontarem aumento do risco de pacientes soronegativos –ou seja, quem nunca teve o vírus– desenvolverem formas mais severas da doença em caso de picada pelo mosquito Aedes aegypti infectado.
“É uma medida de cautela. Enquanto isso não se esclarece completamente, não podemos expor uma pessoa a ter um risco aumentado para dengue. É uma medida de proteção à saúde da população com base no que temos hoje”, afirmou à Folha.
Segundo ele, diante da nova advertência, médicos devem avaliar com cuidado cada caso antes de prescrever a vacina, hoje disponível nas clínicas particulares.

“Com essa recomendação, o médico tem que avaliar isso na hora de prescrever. Se a pessoa não teve exposição ao vírus, não deve recomendar a vacinação.

Fonte: Folha de S.Paulo

Comentários Facebook

FN