‘Orgulho e paixão’ conta a história de uma jovem à frente de seu tempo

Mocinhos de época: Elisabeta (Nathalia Dill) e Darcy (Thiago Lacerda) se apaixonam Foto: Divulgação/TV GloboHá um tom essencialmente feminino em “Orgulho e paixão”. Trama inspirada no universo literário criado por Jane Austen, um dos medalhões da cultura inglesa, o folhetim escrito por Marcos Bernstein (de “Além do horizonte”, de 2013) gira em torno de um quinteto de irmãs jovens no Vale do Café, um vilarejo fictícia no interior paulista, no início do século 20. A protagonista é Elisabeta (Nathalia Dill), filha de Ofélia (Vera Holtz) e Felisberto (Tato Gabus Mendes). A mocinha é irmã de Mariana (Chandelly Braz), Jane (Pamela Tomé), Cecília (Anaju Dorigon) e Lídia (Bruna Griphão). Heroína clássica, a garota se esquiva dos desejos da matriarca a todo custo — e sonha deixar a vida pacata no campo, fadada a um casamento arranjado.
— O fato de ela querer trabalhar já é um ato bem heroico para a época — define Nathalia, estrela da produção gravada em casarões históricos dos municípios de Vassouras e Valença: — A época dela era muito atrasada para as mulheres, como a nossa ainda é. Qualquer mudança no sistema era muito doída. A ficção está me inspirando agora.
A história, no entanto, não seguirá conforme as ambições da protagonista.

Fonte: Extra Online

FN