Gestão Doria cobra até R$ 22 mil de IPTU atrasado de moradores de Cohab

13/01/201802h00A gestão João Doria (PSDB), está cobrando até R$ 22,1 mil de IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) de cerca de 300 moradores do Conjunto Promorar, no Jardim São Luís (zona sul). A quantia é a soma do valor referente a este ano e aos quatro anteriores. Segundo o comunicado, eles podem pagar em no máximo dez parcelas.
Morador de um dos imóveis, o encarregado de estacionamento Luiz Carlos de Souza Junior, 33, afirma que não sabe como vai pagar o imposto. “O valor da prestação é maior que o meu salário”, diz. No andar de baixo da casa, ele mora com a mulher, os filhos e uma sobrinha. A irmã e a filha dela moram no andar de cima. E o terceiro andar está vazio desde que os pais deles se mudaram para Natal (RN), de onde vieram.
Souza Junior mora na casa desde que tinha três anos. “Meu pai comprou do antigo proprietário. Agora que temos o termo de quitação que poderemos passar para o nosso nome”, afirma.
O termo de quitação das parcelas com a Cohab, dado aos moradores em 2016, no último ano da gestão Fernando Haddad (PT), é considerado por eles o único documento de posse dos imóveis.

Fonte: Folha de S.Paulo

FN