Ellen Page acusa diretor Brett Ratner, de ‘X-Men’, de homofobia

Ellen Page escreveu um longo texto em sua página no Facebook nesta sexta-feira acusando o diretor Brett Ratner de ser homofóbico com ela durante as gravações de X-Men: O Confronto Final (2006). “Ele olhou para uma mulher que estava perto de mim, dez anos mais velha do que eu, apontou para mim e disse: ‘Você deveria f* com ela para fazer ela perceber que é gay’. Ele era o diretor do filme, Brett Ratner”, escreveu a atriz.

Veja também

EntretenimentoDiretor de ‘X-Men’ e ‘A Hora do Rush’ é acusado de assédio1 nov 2017 – 14h11
EntretenimentoLouis C.K. tem projetos cancelados e pede desculpa por assédios10 nov 2017 – 18h11
EntretenimentoEx-roteirista de ‘Mad Men’ acusa criador da série de assédio10 nov 2017 – 11h11

Page se revelou homossexual em 2014 e afirmou que, na época do incidente, não tinha assumido sua orientação sexual para si mesma. “Me senti violada quando isso aconteceu. Eu olhei para baixo, não disse uma palavra e vi como ninguém falou nada. Esse homem, que tinha me escolhido para o filme, começou o nosso trabalho com esse pedido horrível e que não foi questionado. Ele me ‘tirou do armário’ sem consideração alguma pelo meu bem-estar, um ato que todos nós reconhecemos como homofóbico. Eu continuei a vê-lo dizer coisas degradantes a mulheres no set. Lembro uma mulher passando pelo monitor e ele comentando sobre sua ‘vagina flácida’.”

Ratner já foi acusado de assédio sexual por seis mulheres, incluindo as atrizes Olivia Munn e Natasha Henstridge. O advogado do diretor negou as acusações.

Ellen Page também afirmou que foi assediada aos 16 anos por um diretor, sem revelar seu nome. Durante um jantar, ele teria passado a mão em sua perna por baixo da mesa. “Quase foi abusada sexualmente meses depois. Um diretor me pediu para que eu dormisse com um homem com vinte e tantos anos e depois contar a eles sobre isso. Eu recusei. Isso foi o que aconteceu durante o meu 16º ano, uma adolescente na indústria de entretenimento.”

A atriz também mostrou arrependimento por ter feito Para Roma com Amor, de Woody Allen, que já foi acusado de abuso sexual. “É o maior arrependimento da minha carreira. Tenho vergonha de ter feito.”

Arquivado em:Entretenimento

Fonte: Veja.com

Comentários Facebook

FN

Deixe uma Opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *