Operadoras de plano de saúde ampliam receita, apesar de perda de clientes

Michel Menezes, de 19 anos, se assustou com o tamanho do reajuste do plano de saúde, de 28%: “Consigo pagar porque ainda moro com meus pais. Mas o valor me surpreendeu” Foto: Fabio Rossi RIO – A recessão e o desemprego fizeram com que mais de 1,5 milhão de pessoas deixassem de ter plano de saúde no ano passado. Mesmo assim, as operadoras conseguiram aumentar seus ganhos: a receita das empresas cresceu 12%, e o lucro líquido aumentou 66%, segundo dados da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS). Segundo especialistas, a estratégia para obter resultados melhores em ano de crise é repassar a conta para o consumidor. Há reajustes de planos coletivos — equivalentes a 80% do mercado — que chegam a 40%. Nos planos individuais, o aumento foi de 13,55%, índice similar aos dos últimos dois anos. A própria ANS reconhece o problema e diz que a tendência é que os planos de saúde se tornem um serviço de elite.
O reajuste dos planos foi muito superior à inflação, que fechou o ano passado com alta de 6,29%. Mesmo assim, as contas não fecham para as operadoras, muito menos para os usuários. Os planos individuais, cujo reajuste é fixado pela ANS, praticamente não estão disponíveis no mercado.

Fonte: Extra Online

FN

Deixe uma Opinião

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *